Marsa Alam: praias paradisíacas e um azul hipnotizante

Ainda falando sobre o incrível azul do Mar Vermelho, ao deixar Hurghada (onde tive uma incrível experiência de mergulho) e seguir mais uns 280 km ao sul, cheguei à esperada cidade de Marsa Alam.

Marsa Alam - Beach.jpg

Um dos pontos turísticos mais fascinantes do Egito, Marsa Alam é uma pacata cidadezinha cercada de um lado pela imensidão do deserto e pelo outro por uma sucessão de praias paradisíacas de águas cristalinas e recifes de coral. Tais atributos naturais fazem deste local uma preciosidade aos olhos de mergulhadores, que vêm de todo o mundo para explorar suas maravilhas subaquáticas e deslumbrantes paisagens.

Nesta região é comum assistir ao gracioso nado de golfinhos, tartarugas e até mesmo de peixes-boi.

Peixe-Boi by Andrea Izzottiby Andrea Izzotti

Saindo do centrinho da cidade, que já é bem servido por uma série de belas praias, segui inicialmente para o sul, onde se localiza o Parque Nacional Wadi El Gemal, uma das áreas naturais mais bem protegidas do Egito. Dentro deste parque, que fica a cerca de 60 km da cidade, estão as intocadas e tranquilas praias de Sharma El Lulli e Hankorab.

A paisagem de Sharma El Lulli chama atenção por suas areias levemente amareladas que levam a uma espécie de lagoa de aguas rasas e cristalinas, tendo ao fundo a evidente e solitária árvore, que virou cartão postal do lugar. Lá não se vê multidão ou qualquer coisa parecida. Pelo contrário, tudo ao redor remete a paz! Um lugar intacto que espero que permaneça assim por muitos e muitos anos.

Hankorab, parece até que saiu direto de uma capa de revista de viagem. Dá para se perder em meio aos diferentes tons azul. E para ficar ainda mais perfeito, um extenso recife repleto de cores e peixes.

Seguindo na direção oposta, ao Norte de Marsa Alam, há mais ou menos 40 km, está a praia mais badalada da região, se posso assim dizer [já que não é lá tão badalada, se considerarmos o padrão brasileiro]. Em Abu Dabab as tartarugas de cor esverdeada estão por toda parte, eu mesma [que nem fiquei tanto tempo dentro da água] vi quatro e tive o prazer de nadar com uma delas. Para quem der sorte, tem também o peixe-boi, espécie ameaçada de extinção.

Abu Dabab é feita para pessoas que curtem mesmo a água… a praia é toda equipada para os amantes do mergulho, kitesurf, windsurf e snorkeling.

Em um lugar tão deslumbrante, dá para ficar perdido no tempo e no espaço!

Praia do Sono: a melhor praia do Rio de Janeiro

Sabe aquela imagem que vem a sua cabeça quando você pensa em uma praia paradisíaca? Aquela, capa de revista de viagem…

É exatamente disso que estou falando: uma extensa faixa de areia branca; águas cristalinas num delirante mix de azul e verde; uma majestosa cadeia de montanhas de densa mata atlântica; e, ao sair do mar, aquela aguinha doce, como uma fonte de frescor inesgotável. Mais alguns passos, você está sob a aconchegante sombra de grandes amendoeiras, daí é só estender a canga [ou armar sua rede] e relaxar…

Dá para imaginar?

Na face oceânica da península de Paraty, a Praia do Sono, é provavelmente o melhor exemplo de quão maravilhosa é a Costa Verde, região que se divide entre os estados de Rio e SP, e que tem como característica: mata atlântica, lindas cachoeiras e praias paradisíacas, convivendo em perfeita harmonia.

Um conjunto de fatores faz da Praia do Sono um lugar tão especial e bem preservado [fazendo parte da Reserva Ecológica da Juatinga]. Se comparada, por exemplo, a sua vizinha Trindade, a Praia do Sono se mantém muito mais natural, sem acesso de carros e todas consequências que isso traz. Tornando assim o lugar perfeito para aqueles que amam a natureza, pura e simples!

Para se chegar a esse destino fantástico, há basicamente dois caminhos, ambos partem da Vila Oratório, até onde é possível se chegar de carro ou ônibus. O primeiro deles, e mais econômico, consiste em fazer uma trilha de 3 km (1 hora – andando devagar). E a segunda opção, mais confortável, mas que talvez tenha uma fila de espera que pode variar de poucos minutos a algumas horas [dependendo do movimento], que é tomar um barco da Vila Oratório até a Praia do Sono.

Mapa - Acesso Praia do Sono.jpg

Com relação à acomodação, a primeira pedida é escolher um dentre as dezenas de campings da praia, onde é possível dormir ouvindo o barulhinho do mar, ou, para aqueles que não abrem mão de certo conforto, há também a opção de alugar um chalé ou uma casinha.

Uma vez no Sono, não vão faltar opções para se distrair e curtir cada minuto do feriadão.

Tomar banho de mar e relaxar na areia são atividades obrigatórias.

Para os amantes do surf, altas ondas quebram [dependendo da ondulação] ao longo de toda a praia, principalmente no canto direito. Outra possibilidade é fazer uma rápida trilha (30 min) e pegar as clássicas ondas da Praia dos Antigos.

Para quem gosta de se refrescar com aquele banho de água doce, além dos rios que desaguam nas praias (Sono, Antigos e Antiguinhos), a região tem várias cachoeiras legais, como: o Poço do Jacaré, a poucos minutos de caminhada da Praia do Sono; a Cachoeira das Galhetas, que demanda uma agradável caminhada de um pouco mais de uma hora em meio à exuberante mata atlântica; e, para os mais aventureiros, a Cachoeira do Saco Bravo, aquele que deságua no mar [temos um post só sobre ela].

Além da Praia do Sono, propriamente dita, há ainda três praias vizinhas que merecem uma visita. 1°) Praia dos Antigos, um lugar perfeito para passar todo o dia, simplesmente um paraíso [que me faltam palavras para descrever]. 2°) Praia de Antiguinhos, pequenininha e aconchegante, lá você se sente parte da natureza e é como se essa joia tivesse sido colocada ali apenas para o seu deleite. 3°) Ponta Negra, é outro pequeno e rústico vilarejo [sem luz elétrica] onde vale a pena parar para um almoço [com aquele peixinho, camarão ou lula, tudo fresquinho ali do mar].

O Sono é um lugar perfeito para fazer novas amizades com os locais e também com outros turistas. Além disso, nos feriados ou na alta temporada é possível curtir a noite, com programinhas para todos os gostos: reggae, samba, forró, MPB e até eletrônico. Mas para quem gosta mesmo da calmaria… a pedida certa é sentar ao redor de uma fogueira e olhar o céu estrelado, tudo de bom!

O pôr e o nascer do sol são espetáculos a parte!  Cada dia é uma nova dádiva neste cenário, que se modifica e se renova constantemente, pela dança de nuvens e cores, mas que mantém sempre uma atmosfera mágica, que só indo lá para entender e se apaixonar. ❤

Pôr-do-Sol Praia do Sono.jpg