5 dicas para fazer sua Euro Trip gastando pouco

Uma Euro Trip é um sonho de praticamente todo jovem viajante que se prese. Afinal, não é fácil achar outro lugar no qual você consiga visitar vários países em um pequeno espaço de tempo; ver história e modernidade lado a lado em sintonia; experimentar uma pulsante vida noturna repleta de gente bonita; passar por paisagens de tirar o fôlego, e por aí vai.

Mas um importante limitante para a maioria de nós [jovens e ferrados de grana] é que de modo geral, fazer uma Euro Trip não é lá muito barato se comparado a visitar outros destinos.

Mas a verdade é que sabendo algumas regrinhas básicas é possível ir a qualquer lugar gastando relativamente pouco.

Por exemplo, no fim de 2016 fizemos uma Euro Trip de 32 dias gastando em torno de 6.000 reais/pessoa [com aéreo!]. Isso não quer dizer que passamos aperto, pelo contrário, curtimos muito! Fomos a vários bares, baladas, eventualmente comemos em restaurantes, visitamos atrações turísticas, fizemos uma roadtrip de carro alugado, descemos umas pistas de snowboard, etc.

O que quero dizer é que: seguindo algumas dicas de ouro, que daremos a seguir, é possível sim fazer sua sonhada Euro Trip gastando pouco e curtindo muito!

#1  Vá fora de temporada

Calendar-729017-1.jpgWorking fo a Goal

Apenas pelo fato de você estar indo um mês antes ou depois da temporada, já é possível conseguir preços bem abaixo do normal. Fora da temporada a acomodação é bem mais barata, sem falar no preço das passagens aéreas e tickets de estações de ski, para ambos pagamos literalmente a metade do preço.

#2  Faça Couchsurfing

DSC_6600-1.jpg

Além das inúmeras vantagens e filosofia incrível, as quais fazem do CouchSurfing um programa super inovador e que vai abrir seus horizontes, não dá para negar que as vezes não pagar nada para ter uma acomodação aconchegante e fazer novos amigos é algo muito bem-vindo. [Se quiser saber mais, veja nosso post Couchsurfirng: Por que eu surfo em sofás?]

 #3  Vá sem pressa (Slow Travel)

G0684128-1.jpg

Cada dia que passa percebo que fazer viagens naquela correria de conhecer [passar por] o maior números de cidades no menor intervalo de tempo é a maior cilada em que um viajante pode ser pego. Não faz sentido algum apenas completar um checklist de cidades, sem conhecer/desfrutar de nenhuma delas de verdade, e ainda por cima gastando muito mais tempo e dinheiro com deslocamentos e passagens. As vezes deitar na grama, fazer um amigo canino e admirar a paisagem ao redor já pode te render momentos memoráveis.

#4  Siga sempre as dicas dos locais

DCIM100GOPROG0964411.

Se você estiver fazendo couchsurfing, isso será quase automático. Se não, dê um jeito de fazer amizade com algum morador local, e seja humilde e receptivo para ouvir atentamente suas dicas. Ao falar com os moradores locais você terá mais chances de conhecer a cidade de verdade e fugir daquelas pegadinhas para turistas [lugares mais caros e sem nada de interessante].

#5  Escolha o Leste Europeu

DSC_6659-1.jpg

Por uma séria de questões geopolíticas, o Leste Europeu é muito mais barato que a Europa Ocidental. Só para se ter uma ideia, os preços em Belgrado são em média 60% mais baratos que em Londres! Além de ser mais barato, o Leste Europeu é lar de muita beleza natural (montanhas nevadas, florestas, cachoeiras, praias paradisíacas…), história fascinante, cultura rica e miscigenada, pessoas lindas e simpáticas, e segue a lista de qualidades [que é longa].

Já sabe seu próximo destino?!    🙂

 

Top 10: cidades e castelos da Transilvânia

Famosa por seus castelos e cidades medievais, a Transilvânia superou e muito minhas expectativas, e vai muito além de lendas sinistras envolvendo vampiros e outras figuras bizarras.

Essa região da Romênia, cercada por imponentes montanhas [nevadas durante boa parte do ano], é simplesmente linda!

Paisagens deslumbrantes, história bem preservada, boa comida e pessoas super amistosas… Essa é a combinação perfeita para qualquer viajante. Então pegamos a estrada e fomos conferir, e vamos te contar aqui sobre 10 cidades/castelos que deixam qualquer um de queixo caído.

Corvin Castle

01 Corvin Castle.jpg

Localizado na cidade de Hunedoara, este é primeiro grande atrativo da região para que vem do oeste [Sérvia ou Hungria]. Com mais de 500 anos de história, e sendo um dos maiores castelos de Europa [sem falar sua assombrosa beleza], vale muito a pena parar para uma visita.

Sibiu

02 Sibiu.jpg

Um das cidades mais charmosas e aconchegantes que já visitamos na vida! Em Sibiu a própria cidade e sua atmosfera são atrações imperdíveis. Nada como parar num café e ver o pôr-do-sol iluminando o harmonioso amontoado de telhados vermelhos, com suas janelinhas que mais parecem um par de olhos. E para os amantes da Boemia, não faltam opções para se divertir depois que cai a noite.

Fagaras

03-fagaras

Bem à beira da estrada que liga Sibiu a Brasov, Fagaras abriga um grande e bem preservado exemplar de uma típica cidade da era feudal. É o retrato típico do que temos na mente, fortes muros e um lago que circunda toda a cidade fortificada.

Bran Castel (Castelo do Drácula)

04 Bran Castle.jpg

Esse, que dispensa apresentações, além de muito bem preservado, guarda uma rica história que vai muito além de vampiros. Lá você vai entender uma importante parte da história da Romênia, com disputas de poder e toques de tirania adicionados pelo príncipe Vlad III, que é tido por muitos como a versão ainda pior [e real] do Conde Drácula.

Rasnov

05-rasnov ROMANIA TO GO

No meio do caminho entre Brasov e Bran você vai avistar Rasnov, uma cidadezinha localizada no topo de um morro, e protegida por fortes muros. Essa cidade que mais parece saída de um filme épico, foi bem importante há alguns séculos atrás, tendo em tempos de guerra abrigado intramuros seus moradores por anos a fio.

Brasov

06-brasov

Conhecida como a capital da Transilvânia, Brasov foi ao longo da história um importante centro de produção, comércio e cultura. Na cidade antiga, construída pelos saxões, ainda é possível imaginar claramente como era a vida ali a séculos atrás.

Rupea

07 Rupea.jpg

Seguindo para o Norte em direção a Cluj, avistamos no alto de uma colina, uma cidade pequenina com muros em espiral acompanhado o terreno, que parece até de faz de conta.

Viscri

08 Viscri.jpg

Acredite quando te falarem que as melhores surpresas vêm de onde não esperamos muito. Essa vila, na qual só é possível chegar depois de encarar 15 km de estrada ruim [e no nosso caso cheia de neve], guarda um tesouro que para te contar teremos que escrever outro post.

Sighisoara

09 Sighisoara.jpgYOUR GUIDE IN TRANSYLVANIA

Bem no coração da Transilvânia, Sighisoara é uma cidade super charmosinha que representa bem a influência alemã na região. A cidade, além dos atrativos históricos, conta ainda com boa infraestrutura para receber os turistas.

Cluj-Napoca

10 Cluj.jpgTRANSYLVANIACAM

Capital cultural e a maior cidade da Transilvânia, Cluj é a pedida certa para quem quer conhecer um lado mais urbano e cosmopolita da Transilvânia. Além da riqueza histórica a arquitetônica, Cluj é lar ainda de uma intensa vida universitária e cultural, o que faz da cidade um bom destino para aqueles que também procuram algum agito.

Belgrado em dois dias

Com mais de 2.000 anos de história, belas paisagens e vibrante vida noturna, Belgrado, capital da Sérvia, só começou a receber significativa atenção dos turistas internacionais na última década.

A Sérvia, parte da antiga Jugoslávia, é um país bem interessante e cheio de coisas legais para se ver. Lá é fácil perceber que você não está nem um pouco perto de casa, seja pelos sabores e aromas, ou mesmo [principalmente] pelos letreiros e placas em geral. Aqui eles adotam tanto o alfabeto cirílico quanto o latino, mas de modo geral eles parecem gostar mais do primeiro.

Como gostamos de lugares ainda pouco explorados e que nos tragam essa sensação de estar imergindo em uma realidade diferente da nossa, Belgrado não poderia ficar de fora do nosso roteiro.

Aqui daremos dicas de algumas atividades que podem ser feitas tranquilamente em 2 ou 3 dias na cidade.

#1 Sava Church

Dedicado ao St. Sava, fundador da Igreja Ortodoxa Sérvia, este templo, ainda não concluído, é simplesmente impressionante, principalmente pelo seu tamanho.

dsc_6006-1

Lá além de perder a noção de espaço com tamanha grandiosidade, é possível ver interessantes características da igreja ortodoxa como, por exemplo, as imagens com traços muito mais orientais do que as da igreja católica, com as quais estamos acostumados. E outro fato que também me chamou bastante a atenção foi o rito dos fiéis beijarem as imagens.

#2 Forte de Belgrado

Devido a sua localização privilegiada, na confluência de dois importantes rios (Sava e Danúbio) e bem no meio do caminho entre a Europa e Ásia, Belgrado é uma das cidades que mais foi disputada e dominada por diferentes grupos ao longo dos séculos – por celtas, turcos, romanos, austro-húngaros, eslavos, e segue a lista.

dsc_6095-1

Como não poderia ser diferente, após tantas guerras, a parte histórica de Belgrado apresenta hoje um conjunto de prédios, muros, torres, etc. que compõem os resquícios de uma grande cidade fortificada que é simplesmente incrível.

Com várias construções bem preservadas e áreas verdes super agradáveis, o complexo [aberto 24 horas/dia, 7 dias/semana] é destino obrigatório para qualquer turista que vá à cidade.

#3 Caminhar na margem do Rio Danúbio

Segundo maior rio da Europa (atrás apenas do vizinho russo, Volga), o Danúbio é para muitas das cidades que são por ele cortadas o principal atrativo natural. É como se fosse para nós um mix de praia, parque, rio, calçadão, etc.

Lá, e no não menos importante Rio Sava, as pessoas vão para correr, pedalar, passear com o cachorro, brincar com as crianças, comer e beber em um dois inúmeros restaurantes e bares, e por aí vai.

#4 Ada Lake

Se ideia é ter um lugar perfeito para curtir a natureza e desfrutar de um domingo de sol, a pedida certa é o Lago Ada.

Como Belgrado não tinha nenhuma praia ou lago para a população curtir no verão, a solução foi resolvida de uma maneira “simples”, fechando artificialmente um dos lados do Rio Sava, divido pela ilha Ada Ciganlija.

Hoje esse complexo de ilha + lago chega a receber no verão cerca de 100.000 visitantes por dia. Já no inverno, é possível ficar bem sossegado apreciando o pôr do sol em paz absoluta.

#5 Vida noturna

Como ninguém é de ferro, depois de um dia de passeios, nada como recarregar as baterias e partir para a noitada!

Para os amantes da vida noturna, Belgrado não deixa a desejar em nada. As opções vão desde bares super legais, com diferentes estilos e tipos de música, até mega baladas, cheias de cor e muita gente bonita! 

club-tilt-belgarde-1